R$ 1.200 por 6h de estacionamento: Paris e a guerra ambiental!

Para tornar Paris “mais verde”, Hidalgo já declarou as margens do rio Sena zona de pedestres, apesar de uma enorme resistência; fechou ao tráfego a principal artéria do centro histórico, a rue de Rivoli; e introduziu a velocidade máxima a 30 km/h, em toda a cidade. Além disso, também removeu estacionamentos e criou novas ciclovias. Até 2026 ela quer uma Paris 100% adequada às bicicletas.

Os parisienses votaram “sim” em um referendo que tornará a vida bem mais cara para os proprietários de veículos utilitários esportivos (SUVs). A prefeita Anne Hidalgo está certa ao apostar que a maioria dos 1,3 milhão de cidadãos com direito a voto marcaria a segunda opção. O objetivo da prefeita é tornar a metrópole mais acolhedora, do ponto de vista ambiental, e melhorar a qualidade de vida.

Mais SUVs ou menos? Política defende Paris mais verde

O referendo foi realizado neste domingo (04/02) e a imagem estilizada do automóvel vermelho contra um fundo preto, estampando os pôsteres ao longo das ruas da capital francesa, dava uma impressão ameaçadora, acompanhando a pergunta retórica: “Você quer mais SUVs nas ruas de Paris, ou menos?”

A política de centro-esquerda resume sua opinião sobre carros com a premissa: “quanto maior, mais dano ambiental”. É em torno dessa premissa que, nos últimos anos, ela tem remodelado Paris radicalmente. Para tornar Paris “mais verde”, Hidalgo já declarou as margens do rio Sena zona de pedestres, apesar de uma enorme resistência, fechou ao tráfego a principal artéria do centro histórico, a rua de Rivoli, e introduziu a velocidade máxima a 30 km/h, em toda a cidade. Além disso, também removeu estacionamentos e criou novas ciclovias. Até 2026 ela quer uma Paris 100% adequada às bicicletas.

Mais SUVs ou menos? Política defende Paris mais verde
Fonte/Reprodução: original.

A intenção da prefeita é tornar a metrópole mais acolhedora, do ponto de vista ambiental, e melhorar a qualidade de vida. Ela menciona estudos mostrando que mais da metade dos parisienses respira ar de má qualidade. A ideia é que com a redução dos SUVs nas ruas, haverá uma melhora significativa na qualidade do ar, além de reduzir o trânsito e os engarrafamentos.

A medida pretende incentivar as pessoas a optarem por meios de transporte mais sustentáveis, como bicicletas ou transporte público. A prefeita acredita que esta é a melhor maneira de garantir um futuro sustentável para Paris e para o planeta como um todo.

No entanto, a medida não é bem vista por todos os parisienses. Muitos proprietários de SUVs se sentem prejudicados e acreditam que estão sendo alvo de uma política discriminatória. Alguns acreditam que a medida não terá o efeito desejado e que outros meios de transporte também poluem.

Apesar das críticas, a prefeita Anne Hidalgo continua firme em sua política ambiental e acredita que a redução dos SUVs nas ruas de Paris é uma medida necessária e importante para o futuro da cidade e do planeta. É importante lembrar que Paris não é a única cidade a adotar medidas de redução de carros poluentes nas ruas. Outras cidades ao redor do mundo também estão adotando políticas semelhantes e buscando soluções para um futuro mais sustentável.

Estacionamento cobra 225 euros por apenas 6 horas de uso

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, tem como um dos principais alvos os pesados SUVs. Apesar de não haver uma proibição explícita, os preços altos de estacionamento são um recurso dissuasório para os proprietários. Os cidadãos votaram “contra ou a favor da introdução de uma tarifa para estacionar veículos pesados, volumosos e hostis ao meio ambiente” e, segundo resultados oficiais, apenas 5,7% dos eleitores se apresentaram.

Com a aprovação da proposta da política socialista, para os carros com motores de combustão ou híbridos plug-in (alimentados pela rede elétrica) pesando mais de 1,6 toneladas (2 toneladas para os elétricos), o preço do estacionamento na Paris central triplicará para 18 euros por hora. Isso significa que seis horas no núcleo da capital custarão 225 euros aos donos de SUVs.

Estacionamento cobra 225 euros por apenas 6 horas de uso
Fonte/Reprodução: original.

Nos bairros mais afastados, a primeira hora é um pouco mais barata, 12 euros. Está prevista também uma série de exceções à nova regra, a qual não afetaria os residentes da capital, taxistas estacionando nas faixas especiais, comerciantes em zonas permitidas, e profissionais de saúde.

Associações ambientalistas apoiam campanha contra SUVs em prol da transição verde

Associações ambientalistas apoiam a campanha de Hidalgo, ressaltando as altas emissões carbônicas desses veículos pesados, assim como o uso dos espaços públicos e questões de segurança no trânsito. Segundo as autoridades municipais, SUVs são duas vezes mais fatais para pedestres do que carros normais.

As associações argumentam que “o voto visa enviar uma mensagem aos fabricantes automobilísticos e sua ganância de lucros. O fato de intencionalmente venderem veículos cada vez maiores, com maior consumo de combustível e caros, sabota a transição verde”.

Essa medida pode ser vista como um passo importante para a transição para uma sociedade mais sustentável e verde, incentivando os cidadãos a optar por veículos mais limpos e menos poluentes. Além disso, pode ser um exemplo para outras grandes cidades ao redor do mundo, que enfrentam problemas semelhantes em relação ao tráfego e à poluição.

Associações ambientalistas apoiam campanha contra SUVs em prol da transição verde
Fonte/Reprodução: original.

No entanto, é importante ressaltar que essa medida não afetará todos os donos de SUVs, apenas aqueles que pesam mais de 1,6 toneladas. Além disso, é preciso considerar outras medidas que possam incentivar a transição para veículos mais limpos, como incentivos fiscais para a compra de carros elétricos e a expansão de infraestrutura para carregamento desses veículos.

Em resumo, a medida aprovada em Paris para aumentar o preço do estacionamento de SUVs é um passo importante para incentivar a transição para uma sociedade mais sustentável e verde. No entanto, é preciso continuar buscando outras medidas que possam ajudar nessa transição e reduzir ainda mais a poluição e o tráfego nas grandes cidades.

O futuro sombrio dos motoristas brasileiros

Paris pode aumentar as taxas de estacionamento para SUVs em uma tentativa de reduzir a poluição do ar e incentivar o uso de transportes mais ecológicos. A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, pretende reduzir o número de carros na cidade e promover o uso de bicicletas, ônibus e metrô, além de reduzir a poluição do ar. No entanto, a iniciativa tem enfrentado resistência da Associação de Proprietários de Automóveis da França, 40 Millions d’Automobilistes.

O futuro sombrio dos motoristas brasileiros
Fonte/Reprodução: original.

Os SUVs são especialmente populares na França, representando metade dos novos registros no primeiro semestre de 2023. A iniciativa de Hidalgo pode ser apenas o começo de uma guerra contra os carros, conforme a associação. Políticos de cidades como Lyon, Bordeaux e Grenoble também estão discutindo taxas de estacionamento mais altas para veículos de grande porte.

As restrições aos carros na cidade de Paris já estão em vigor há algum tempo. A partir do início de 2025, os veículos a diesel fabricados antes de 2011 serão banidos da cidade. Apesar disso, a prefeitura não conseguiu fazer com que essa regulamentação entrasse em vigor em janeiro deste ano.

Gestão ambiental ousada impulsiona sucesso político do Partido Socialista no Brasil

Desde que Hidalgo assumiu o cargo em 2014, sua gestão tem sido caracterizada por uma política ambiental ousada. “Atualmente estamos em meio a um processo de mudança. O mais difícil nessa fase é que precisamos mudar nossos hábitos”, explicou em uma entrevista televisiva.

Apesar de ter obtido menos de 2% dos votos em sua desafortunada candidatura presidencial há dois anos, a estratégia tem beneficiado o Partido Socialista (PS), de centro-esquerda, no nível local. Nas eleições presidenciais de 2020, sua coalizão rubro-verde deixou a concorrência para trás com facilidade.

Depois dos Jogos Olímpicos de 2024, marcados para julho, o limite de velocidade do Boulevard Périphérique será reduzido de 70 km/h para 50 km/h. Isso mostra que, independentemente do resultado das eleições, os motoristas parisienses podem esperar cada vez menos espaço de manobra.

Embora a ideia de Hidalgo possa parecer controversa para alguns, a redução do número de carros na cidade pode ajudar a reduzir a poluição do ar e a melhorar a qualidade de vida dos moradores. Além disso, incentivar o uso de transportes mais ecológicos pode ter importantes benefícios.

Avalie esse artigo

Bruno Martendal
Especialista em finanças e seguros, aprecia o mundo dos automóveis e se aprofundou na área de proteção do seu patrimônio. Hoje se divide entre outros projetos, na redação do Agora Motor, sempre trazendo reviews e análises sobre os melhores seguros automotivos!
Posts relacionados
Notícias Descubra os 10 carros seminovos mais procurados do mercado!

Uma pesquisa recente realizada pela Mobiauto, plataforma de compra e venda de veículos, revelou quais…

Gabriel May Oechsler
Notícias 5 melhores carros elétricos para idosos: Práticos e modernos!

Os carros elétricos estão cada vez mais populares e agradando diferentes públicos. Eles são econômicos,…

Bruno Martendal
Notícias Casa abandonada tinha quase R$ 1 milhão em carros abandonados!

Uma casa localizada às margens da Represa Guarapiranga, na Zona Sul da cidade de São…

Thiago Klaumann
Notícias Conheça a Lamborghini para drifts, corpo italiano, mas coração japones

Trocar o motor de um carro pode ser um desafio incrível, ainda mais se o…

Bruno Martendal
Notícias As melhores lasanhas (carros) do Brasil!

Um valor generoso é o suficiente para selecionarmos dez carros capazes de fazer o consumidor…

Thiago Klaumann
Deixe seu comentário