Agora Motor logomarca

Com queda de 17% na produção de motos em abril, a fila de espera chega a 1 mês

2 minutos de leitura

A Abraciclo, associação que reúne todas as fabricantes motocicletas do Brasil, divulgou informações referente a produção de suas associadas no mês de abril. Apesar de tentar passar um ponto positivo, a entidade se mostrou um pouco preocupada com a queda na produção de motos.

De acordo com as informações da Abraciclo, em abril, suas associadas produziram 112 mil 678 unidades de motos, no entanto, o número apresentou uma grande queda se comparado a março, onde 136 mil 350 unidades foram produzidas. Além disso, ainda se comparado a março de 2021, o número na produção mostra uma queda de 7,8%.

Em relação às informações negativas de abril, os dados vão de encontro com a retração nos emplacamentos do mês passado. Foram 107 mil 707 unidades comercializadas, ou seja, 2,1% a menos que os emplacamentos de março. Porém, vale lembrar que as montadoras ainda seguem limitadas por conta da das dificuldades referente a logística e a falta de matéria prima. No caso da Yamaha, por exemplo, ela opera em ritmo desacelerado desde março, e prevê o retorno da produção normal somente para junho.

Guia do Conteúdo

Produção de motos

produção de motos
Produção de motos. Foto: Reprodução

Apesar desses dados negativos, um ponto positivo pode ser encontrado em relação ao acúmulo das motos produzidas até abril de 2022, já que a quantidade chega a 439 mil 817 unidades. De forma resumida, isso mostra uma alta de 22,3% em relação ao mesmo período no ano passado.

No entanto, apesar dos números indicarem queda, o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, afirmou que as fabricantes estão operando dentro da normalidade, conforme o planejamento anual.

Ainda de acordo com os dados divulgados pela Abraciclo, o número de motocicletas emplacadas em abril representa uma porcentagem de 83,3% em relação a todas as motos disponibilizadas no mercado. Além disso, a média diária de vendas em abril, que foi um mês com 19 dias úteis, foi de 5.669 unidades, sendo um dos melhores resultados para o mês desde 2014.

Por fim, ainda de acordo com o presidente da Abraciclo, quem está comprando uma moto de 0 km deve ter paciência, pois a fila de espera é de cerca de 30 dias para as motos de baixa cilindrada e para as scooters.

Acesse o Agora Motor e veja todos os detalhes.

Avalie este artigo

Avalie esse artigo

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *